Homem vai a tribunal mas não consegue provar que está vivo. Apesar de estar vivo e saudável Constantin Reliu, de 63 anos, não está a conseguir provar à Justiça romena que não morreu.

Segundo a Associated Press, em 1992, Constantin foi trabalhar para a Turquia e perdeu o contacto com os familiares. Anos depois, a mulher decidiu declara-lo como morto.

Em 2016, recebeu a certidão de óbito do marido. Agora o governo turco descobriu que os documentos de imigração de Constantin tinham expirado e deportou o romeno.

Ao chegar ao seu país, o homem descobriu que tinha sido dado como morto.

Ele tentou provar que estava vivo, mas a justiça romena alegou que o homem demorou demasiado tempo para entrar com o pedido em Tribunal e, por isso, vai permanecer oficialmente morto:

“Estou oficialmente morto, por mais que esteja vivo. Não tenho rendimentos e, por considerarem que estou morto não posso fazer nada”, disse o romeno à imprensa local.