Há dois anos desaparecida, uma mulher foi encontrada viva no mar. Angélica Gaitan de 46 anos tinha paradeiro desconhecido, até ao dia em que dois pescadores viram a mulher a boiar no mar, de olhos fechados.

A mulher estava com tanto frio que mal conseguia falar quando um dos pescadores falou com ela em espanhol e posteriormente em inglês para perceber se ela entendia.

Angélica não respondeu e os dois homens puxaram-na então para o seu barco. O jornal colombiano La Libertad, refere que apesar de não ter respondido foi a mulher quem pediu socorro para que os dois pescadores a vissem. Angélica é resgatada e chora quando lhe é dada água para beber.

MAis tarde, a mulher terá dito: “Eu nasci de novo, Deus não queria que eu morresse”.

As autoridades investigam agora o motivo do seu desaparecimento durante estes dois anos mas de acordo com a mesma e segundo declarações à rádio RCN, ela era vítima de violência doméstica há 20 anos e que tentou fugir para que o marido não a matasse.

“Durante 20 anos, tive um relacionamento tóxico, fui violada pelo meu ex-marido. O abuso começou na primeira gravidez, ele batia-me e agredia violentamente, na minha segunda gravidez, o abuso continuou e não pude fugir dele porque as meninas eram pequenas. Muitas vezes eu denunciei, mas a polícia levava-o e 24 horas depois ele estava na casa novamente”, disse.

E continua: “Não queria continuar com a minha vida. Uma senhora deu-me bilhetes e apanhei um autocarro diretamente para o mar. Deixei-me levar e esperei que esse pesadelo acabasse”, disse.