Um médico apelou para que a mulher tivesse o “máximo de relações” possíveis para curar a depressão. A mulher australiana ouviu do seu médico que deveria ter mais momentos calorosos de prazer, de forma a curar a depressão.

A mulher disse que o médico lhe recomendou que esta seria a melhor forma para combater o mau humor, a ansiedade e a depressão. Quando mais nova, a mulher sofrera de anorexia e bulimia. Depois de ter passado muito mal com ansiedade e até ataques de raiva, finalmente decidiu consultar um médico que a diagnosticou com bipolaridade…

a verdade é que o conselho médico deu mesmo resultado. Desde que ela começou a praticar mais o amor, o seu humor manteve-se “constante” e ela afirma que está com a moral muito mais elevada.

Ela diz que: “Por vezes só o acto de tocar, de abraçar ou de agarrar é uma forma de conexão que nos ajuda a ambos a sentirmo-nos muito bem”.

Fica a dica.

Partilha