Ex-acompanhante com duas vaginas diz que usa uma para trabalho e outra para o amor. Chama-se Evelyn Miller, tem 30 anos e tem duas vaginas. Ela tem o útero didelfo, uma condição rara caracterizada por uma mulher possuir duas cavidades uterinas, cada uma com sua trompa, seu ovário e seu colo uterino. 

Miller “Para mim é normal e nunca pensei que fosse tão intrigante”, afirma a mulher australiana. 

“Acho que muitas pessoas não podem dizer que usam uma vagina para o trabalho e outra para a vida pessoal. Foi útil no trabalho poder ter uma vagina totalmente diferente”, explica. A profissional do sexo acrescenta ainda a utilidade que esta condição teve na sua vida profissional: “Se eu tivesse muitas marcações e estivesse a ficar desconfortável numa das vaginas, eu poderia simplesmente usar a outra”.

A mulher afirma ainda ser “difícil estar num relacionamento com uma acompanhante por todos os tipos de razões”, mas poder separar o trabalho da intimidade através do uso de uma vagina para cada propósito, foi benéfico.

“Quando eu entro num relacionamento, é melhor para mim separar os dois”, garante.

A jovem tem num entanto uma desvantagem. Como possui dois úteros funcionais, as consultas de ginecologia são duplas e as menstruações também, por isso tem de usar dois tampões quando menstrua.