Um burro morreu bem em frente de uma Igreja. Uma semana depois, o corpo ainda estava lá, o padre resolveu reclamar com o presidente da câmara.

– Sr. presidente, tem um burro morto na frente da Igreja há quase uma semana!

E o presidente, grande adversário político do padre, alfinetou:

– Mas Padre, não é o senhor que tem a obrigação de cuidar dos mortos?

– Sim, sou eu! Mas também é minha obrigação avisar os parentes!