Pessoas traídas decidiram criar a associação dos cornudos. O problema não é o corno, a traição propriamente dita, mas a exposição, o disse-me-disse, enfim, a chacota. Eis que os cornos resolveram se insurgir contra essa doutrina, digamos, ultrapassada. 

Eles não só defenderam a figura do corno manso, como se propuseram a amansar os cornos que, por pressão social (chacota), estivessem a ameaçar cometer algum tipo de violência contra a companheira ou contra si mesmo.

A associação é formada por homens e também por algumas mulheres. São elas que levam ainda mais consciência ao grupo e amansam os cornos.

associação dos cornudos

“Muitos homens agridem a mulher, matam a mulher. Sou técnica de enfermagem e já vi muitas mulheres a chegar na emergência feridas pelo marido. O homem tem que aprender a levar cornos! São muitas mulheres mortas porque o homem não entende que não é dono da mulher”, diz Albeia, conhecida como Abelhinha.

associação dos cornudos

Cada corno tem uma história diferente. Mas, todos ali souberam superar a decepção e valorizar a chacota. “Fui trabalhar. Quando saí, deixei a cama fria, quando voltei, a cama tava quente”, disse um cornudo às gargalhadas.

A Associação dos Cornos tem 75 cornudos. A entidade surgiu quando um cornudo conhecido por levar 13 cornos de 13 mulheres diferentes.

associação dos cornudos

Nota: Este é um artigo de carácter humorístico/satírico com o objectivo de fazer rir. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade. É meramente ficcional.

FONTECorreio
Partilha
Partilha